Dicas para fazer seu motor durar mais.

Para evitar a aposentadoria antecipada do motor de seu carro, basta seguir uma rotina simples de manutenção e adotar alguns comportamentos que vão lhe poupar muito dinheiro a médio e longo prazo.

Na maioria das vezes, carros dão sinais claros de que algo não vai bem – e a saúde deles depende de sua atenção. Não há mágica: motores vivem mais se o dono for cuidadoso. 

Pegue leve nos primeiros quilômetros
Em carros recém-saídos da concessionária, mantenha a rotação baixa nos primeiros 1.000 quilômetros. Antecipe trocas de marcha (não passe de 3.500 rpm), varie a velocidade e faça acelerações progressivas.

Essa história de amaciar o motor à força não funciona – apesar de haver uma comunidade de pessoas que acreditem no método Chuck Norris de amaciamento.

Os freios também precisam de cuidados iniciais para que haja assentamento entre as pastilhas e discos. Para o motor e freios, os primeiros quilômetros são fundamentais para uma vida longa e feliz.

 

Não aqueça o motor antes de começar a rodar
Ao sair pela manhã ou quando o carro estiver frio, não precisa gastar alguns minutos em marcha lenta. Prefira essa rotina: entre no carro e ligue o motor, coloque o cinto e verifique os ajustes do assento e espelhos. Pronto – esses 30 segundos bastam e seu carro está pronto para começar a rodar. Mas ainda estará frio. Rode com suavidade até que o motor atinja a temperatura ideal de funcionamento.

Evite acelerações bruscas
Acelerar no trânsito como se você estivesse numa prova de ¼ de milha toda vez que o semáforo abre não vai lhe ajudar a chegar mais rápido no destino. Mas é o caminho mais breve para antecipar uma parada na oficina. Ser brusco no acelerador é um dos hábitos mais danosos para a saúde do automóvel.

No trânsito, o motor tende a trabalhar muito quente e esse tipo de condução aumenta ainda mais a temperatura do conjunto. Sobrecarrega o sistema de arrefecimento, juntas e correias, por exemplo.

Filtros (de ar e óleo) são baratos. Retífica é cara
Economizar nesses dois filtros é a pior decisão que você pode tomar. Troque o filtro de óleo toda vez que esgotar o fluido – nada de alternar troca sim, troca não. É uma peça barata demais, considerando sua importância no bom funcionamento do propulsor.

O mesmo vale para o filtro de ar: substitua sem dó. Nada de “bater um ar”, aspirar, lavar. No jargão financeiro, é o que se chama de “economia porca”.

Escolha o óleo como se fosse vinho
Vinho ruim dá dor de cabeça. Óleo de origem duvidosa também. Se o fabricante recomenda óleo sintético (geralmente mais caro), use o sintético. Não misture com óleo mineral. Prefira gerações mais novas do fluido, com poder de detergência de classe SL, no mínimo.

Poupe seu dinheiro: óleos modernos, de qualidade, não precisam de aditivos. Siga o manual e antecipe trocas do fluido se você rodar por muito tempo em regimes severos (como trânsito ou áreas poluídas/empoeiradas).

Fale conosco - Clique aqui